Geral

Feira de Adoção bate recorde e quinze cães encontram um novo lar

30 de outubro de 2016
  • Por
    Guilherme da Silveira Bica
  • Fonte
    Assessoria de Imprensa
  • Foto: Divulgação
    compartilhe essa matéria

    Mais duas feiras serão realizadas até o final do ano, uma em novembro e outra em dezembro

    Um sucesso. Essa é a palavra que define o resultado da Feira de Adoção de Animais, realizada pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Saneamento e Sustentabilidade (SMMASS), em parceria com a ONG Protetores de Santa Cruz, na tarde deste sábado (29) nas dependências do Canil Municipal. Nessa edição 40 cães adultos e filhotes foram disponibilizados para adoção e desses 15 – nove adultos e seis filhotes – encontraram um novo lar.

    Saltitando e abanando o rabo, o recém-batizado Rex parecia entender o que estava por vir e não escondia a alegria na presença do casal Darci Lopes, 59 anos, e Maria de Lourdes Lopes Nascimento, 64 anos, seus novos tutores. Após ter sido resgatado de uma acumuladora de animais no interior de São José da Reserva, junto com outros 14 cães que passavam sede, fome e abandono, Rex, que possui idade estimada de 6 anos, passou alguns meses no canil, onde recebeu tratamento digno e  estava pronto para partir.  Cerro Alegre Baixo será seu novo lar. Lá ele vai dividir espaço com um Rottweiler, um Shitsu e um Fox. 

    Mesmo com o término da feira, quem tiver interesse em adotar um animalzinho, pode agendar um horário para visitar o Canil Municipal, que até o dia 31 de dezembro, estará funcionando das 8h às 14h, sem fechar ao meio-dia. O telefone é (51) 3719 1170. Já quem prefere aguardar pelas feiras, mais duas serão realizadas até o final do ano, uma em novembro e outra em dezembro, ambas em praças do Centro da cidade, aproveitando o movimento do comércio para as festas de final de ano. 

    Especiais 

    Voluntário da ONG Protetores, Murilo Silva fez questão de chamar a atenção para a situação de animais que apresentam problemas físicos decorrentes de acidentes e até maus tratos. No Canil Municipal quatro cãezinhos passam por essa situação – três são cegos e um paraplégico. Nesses casos, como explica Murilo, a adoção torna-se bem mais difícil. “Tentamos um lar temporário, mas infelizmente não deu certo. Agora montei uma cadeirinha para ele andar”, disse, referindo-se ao cão com problema de mobilidade. Quanto ao futuro deles, só Deus sabe. “Eles estão aqui para serem cuidados e se não forem adotados, viverão aqui conosco até o fim da vida”.