Geral

“Não saímos satisfeitos da reunião”, diz moradora do Residencial Viver Bem

26 de outubro de 2016
  • Por
    Luiza Adorna
  • Fonte
    Portal Arauto
  • Foto: Portal Arauto/Guilherme Bica
    compartilhe essa matéria

    Após protestarem em frente à Caixa Econômica Federal, moradores foram ouvidos

    Devido aos alagamentos e prejuízos causados pelas chuvas no Residencial Viver Bem, em Santa Cruz do Sul, os moradores se reuniram na tarde desta quarta-feira (26) com representantes da Caixa Econômica Federal, responsável pela contratação da empreiteira que construiu o Residencial. Cansados de sofrer com os alagamentos no local, eles protestaram em frente à agência bancária na manhã de hoje. Na ocasião, o gerente da Caixa anunciou uma reunião para às 15h30min com superintendentes. Angela Iser, moradora do local, diz que ninguém saiu satisfeito da conversa. 

    De acordo com ela, a Caixa não pesquisou o histórico da Construtora Em Casa, responsável pelas obras, que, segundo ela, possui histórico de outras irregularidades. "Fizeram nossas casas com base de argila e cimento, na terra crua. Os pedreiros faziam os serviços de eletricistas  e estes realizam também as obras", relata. Segundo a moradora, toda vez que chove chega a entrar água até 20 centímetros de altura. "O esgoto está saindo pelos ralos dos banheiros das nossas casas. Fezes, urina, tudo está subindo", lamenta. Angela ainda conta que uma senhora quebrou o fêmur ao caminhar em sua residência alagada. "Ela podia ter se afogado", diz.

    Além de todos os problemas de alagamento, as calçadas do Residencial foram danificadas pelos moradores que, na ansiedade, tentavam fazer a água escoar. "Na reunião, eles só nos enrolaram. Ficaram quietos e fingiram nos escutar. Caso não tivéssemos insistido, não teríamos conseguido a próxima conversa", fala. Essa próxima conversa é uma reunião na segunda-feira (31), prometida pela Caixa para às 14h. De acordo com Angela, ficaram de comparecer na ocasião os responsáveis da agência, da Construtora Em Casa, da Corsan e da Prefeitura Municipal para conversar com os atingidos pelas chuvas.

    Caso os moradores não fiquem satisfeitos com a reunião de segunda-feira ou caso os representantes da Construtora não compareçam, um novo protesto vai bloquear a Caixa Econômica Federal, por todo o período de funcionamento do local, de acordo com Angela.

    Vídeos curtos