Polícia

Delegado Menezes confirma que agricultor santa-cruzense forjou sequestro

23 de setembro de 2016
  • Por
    Cátia Kist
  • Fonte
    Portal Arauto
  • Foto: Divulgação Defrec
    compartilhe essa matéria

    Renato Pedro Kloh, de 57 anos, disse que montou a história para pagar dívidas com dinheiro do seguro do carro

    O agricultor Renato Pedro Kloh, de 57 anos, desaparecido desde quarta-feira (21), e encontrado nesta sexta-feira (23) em um casebre em General Câmara, na verdade, não foi sequestrado. De acordo com o Delegado Regional e Delegado da Defrec Santa Cruz, Luciano Menezes, o homem forjou uma captura para tentar dar um golpe na seguradora de seu carro. Na noite de quarta-feira, o carro de Kloh foi encontrado queimado em General Câmara e, hoje, a Defrec foi até a região e encontrou o agricultor dormindo dentro de um casabre no interior do município. Depois de alguns minutos tentando convencer os policias de que estava sendo alvo de um sequestro, Renato confessou o plano. Ele vai responder, em liberdade, por tentativa de estelionato 

    Desde quarta-feira a Polícia e a família procuravam o agricultor. Ele havia saído de Quarta Linha Nova, em Santa Cruz, com a desculpa de ir a Vera Cruz para comprar uma peça de trator. Durante quase 48 horas, policiais tentaram montar o quebra-cabeças para localizar Kloh. Após saberem do carro incendiado, a equipe de Luciano Menezes foi até General Câmara. Lá, policiais conseguiram conversar com uma pessoa que teve contato visual com a vítima. Neste momento, a Defrec já trabalhava com a possibilidade de não ter acontecido sequestro e descobriu uma série de dívidas do agricutor por conta de plantações de tabaco.

    Carro queimado

    O plano de Renato Pedro Kloh, de acordo com o delegado Menezes, era se suicidar no casebre para beneficiar a família com o seguro do carro. No entanto, o agricultor revelou ao delegado que não tinha coragem de se matar e pretendia permanecer no local até não aguentar mais, sem água e sem alimentos. "Ele esperava morrer de fome", diz o delegado Menezes. O agricultor retirou o banco e os pneus do carro antes de colocar fogo no veículo, na região de Dourados, para que a ideia de sequestro ficasse ainda mais real. "Muito criativo, mas estes crimes não acontecem assim", destaca Menezes. Confira a entrevista completa com o delegado: