Região

Comitiva vai para Índia defender a fumicultura

3 de novembro de 2016
  • Por
    Guilherme da Silveira Bica
  • Fonte
    Jornal Arauto
  • Foto Divulgação/Carlos Nyland
    compartilhe essa matéria

    Embarque de representantes da cadeia produtiva do tabaco ocorre hoje

    Nesta quinta-feira, dia 3, representantes da cadeia produtiva do tabaco embarcam para a Índia, em Nova Délhi, para acompanhar de perto a 7ª Conferência das Partes (COP 7), que acontece entre os dias 7 e 12 de novembro. O presidente do Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco), Iro Schünke, o presidente da Associação de Fumicultores do Brasil (Afubra), Benício Werner, e o secretário executivo da entidade, Romeu Schneider, e Carlos Galant, da Abifumo, estão entre os nomes que seguem rumo à defesa do tabaco.

    Sem ter a certeza de que terão acesso ao plenário e aos debates da COP 7, o grupo buscará acompanhar de perto as tratativas, já que a delegação oficial brasileira no evento estará em diálogo direto com as entidades ligadas à cadeia produtiva. Na delegação brasileira, há apenas representantes da Comissão Nacional para Implementação da Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco (CONICQ), encabeçada pelo Ministério da Saúde. 

    Este será um momento em que as delegações dos Estados Partes discutem e aprovam diretrizes para orientar os países na adoção de medidas nacionais. Entre os temas que serão debatidos na Conferência está o pedido de intervenção da Organização Mundial da Saúde (OMS) em questões de natureza comercial, o que preocupa o setor. “O tabaco, assim como outros produtos exportados pelo País, faz parte de acordos internacionais junto à Organização Mundial do Comércio (OMC). Mas a OMS quer retirar o tabaco desses acordos, o que poderá prejudicar em muito as exportações, especialmente o Brasil que é responsável por 30% dos embarques mundiais”, afirma Iro Schünke.