Geral

Capacitação de agentes de saúde dá a largada para o Novembro Azul

3 de novembro de 2016
  • Por
    Luiza Adorna
  • Fonte
    Assessoria de Imprensa
  • Foto: Divulgação/Assessoria de Imprensa
    compartilhe essa matéria

    Cerca de 150 profissionais participaram da habilitação

    Os cuidados com a saúde integral do homem foram os motivos de uma capacitação que reuniu cerca de 150 agentes comunitários de saúde, na manhã desta quinta-feira (3), no auditório da Faculdade Dom Alberto. Dessa forma, a Secretaria Municipal de Saúde, de Santa Cruz do Sul, dá a largada para a programação alusiva ao Novembro Azul que, durante todo este mês, será lembrado com uma série de atividades nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e nas Estratégias de Saúde da Família (ESFs).

    Dentre os vários assuntos abordados, destaque para o alto índice de sífilis em Santa Cruz do Sul, realidade que alcança todo o Brasil, e para o papel das agentes na detecção de novos casos, no acompanhamento e no tratamento dos pacientes. Uma das grandes preocupações, detectadas pelo Comitê de Mortalidade Infantil, é com a sífilis congênita. A infecção, que é transmitida da mãe para o bebê durante a gestação, pode ocasionar problemas cardíacos, alterações nos ossos, cegueira, surdez, retardo mental e até levar à morte o recém-nascido.

    Como explica a supervisora técnica da Atenção Básica, enfermeira Bárbara Haas, o homem precisa aderir ao tratamento, tanto quanto a mulher, para que, de fato, ocorra a cura da doença. “É muito comum a mulher iniciar o tratamento e o parceiro não. O que acontece é que ela acaba se reinfectando”, explicou. A resistência dos homens em buscar os serviços de saúde é um agravante, segundo ela. Bárbara alerta para que as pessoas não negligenciem possíveis sintomas, uma vez que a doença pode ocasionar diversos tipos de lesões. “As vezes aparece uma simples afta e a pessoa acha que não é nada e que logo vai desaparecer, daí a importância de consultar um médico e evitar complicações”, disse.

    A capacitação para as agentes de saúde contou com a participação de profissionais das coordenações da Atenção Básica e da Estratégia de Agentes Comunitários de Saúde, Vigilância Epidemiológica, Centro Municipal de Atendimento à Sorologia (Cemas), Unidade Municipal de Referência em Saúde do Trabalhador (Umrest) e Departamento de Tecnologia da Informação da Secretaria Municipal de Saúde.

    Vídeos curtos