Geral

Guido, Cira ou Claudério: um deles vai governar Vera Cruz a partir de 2017

30 de setembro de 2016
  • Por
    Lucas Miguel Batista
  • Fonte
    Jornal Arauto
  • Foto: Lucas Batista/Jornal Arauto
    compartilhe essa matéria

    19.682 eleitores vão às urnas neste domingo. Previsão é de que o resultado oficial seja divulgado às 19h30min

    Quase 20 mil vera-cruzenses vão às urnas neste domingo (2) escolher entre Guido Hoff, Cira Kaufmann ou Claudério Ferreira para ser o novo governante de Vera Cruz. Os três, juntamente com seus vices – Alcindo Iser; Valdomiro da Rocha e Roseli Finkler, respectivamente -, colocaram os nomes à disposição para trabalhar em prol da comunidade e defender projetos de interesse coletivo. As seções eleitorais abrem às 8 horas e, além de definir quem será o novo prefeito, o pleito coloca 11 vereadores a partir de 2017 na Câmara de Vera Cruz. Neste último dia de caminhada e de conquistar os eleitores ainda indecisos, a aposta dos candidatos, que não preveem carreatas, é no corpo a corpo e na sola do sapato.

    Com uma vida pública de 55 anos, Guido Hoff (PSB) avalia a campanha – mais curta este ano – como diferente. “O tempo mais curto nos fez andar mais, otimizar as horas. Mesmo assim, foi possível visitar todas as localidades, estar perto das pessoas. Foi um processo extraordinário. De engajamento, sobretudo”, afirma. Entre os pontos positivos da caminhada estão a união e a solidariedade nos momentos difíceis, que segundo Hoff, merecem ser ditos pelo papel decisório que cumpriram. De ponto negativo da campanha, Hoff comenta que foram as acusações, mas que tal fato é miúdo se considerada a grandeza dos bons propósitos que os unem.

    A professora aposentada e candidata a prefeita Cira Kaufmann (PT) também avalia como positiva a campanha mais curta. “Primeiro, porque se tornou uma campanha mais enxuta, com menos gastos e menos poluição, fazendo com que passássemos a utilizar o contato direto com o eleitor como prioridade”, conta. Já como ponto negativo na caminhada, Cira diz que é difícil percorrer todo o município em 45 dias e o poder financeiro de alguns, o que torna a campanha desigual.

    Compartilhando da mesma opinião dos outros dois candidatos, o advogado e peemedebista Claudério Ferreira diz que os 45 dias de caminhada foram positivos. “A nova legislação vem ao encontro de uma nova consciência política que aos poucos cresce no Brasil. Isso é bom para todos, pois os antigos vícios e a gastança desenfreada dão lugar ao que de fato importa em um processo eleitoral: o comparativo de propostas e o julgamento do histórico de cada candidato. No entanto, o tempo reduzido desfavorece candidaturas novas que representam a renovação política que tanto se deseja”, explica.
    Entre o que Claudério destaca como positivo nesta caminhada está a receptividade da comunidade vera-cruzense, bem como a adesão aos comícios. Já nos aspectos negativos, Claudério cita o curto tempo para a apresentação das propostas, em virtude de que se tornou candidato apenas no último dia das convenções, fato esse que fez com que ele não pudesse visitar todas as comunidades da forma que gostaria.