Geral

De mãos dadas, colegas se despedem do amigo frentista e pedem por justiça

30 de setembro de 2016
  • Por
    Luiza Adorna
  • Fonte
    Portal Arauto
  • Foto: Portal Arauto/Luiza Adorna
    compartilhe essa matéria

    Valdinei Oliveira de Moura foi morto a tiros nesta quinta-feira (29) enquanto trabalhava em Santa Cruz

    A tarde desta sexta-feira (30) foi de dor. Os amigos, familiares e colegas de trabalho de Valdinei Oliveira de Moura se despediram de seu corpo, velado no necrotério do Cemitério Santo Antônio em Santa Cruz do Sul. Valdinei foi assassinado nesta quinta-feira (30), enquanto trabalhava no posto de combustíve H24, próximo ao Acesso Grasel. O atirador estava de folga do Presídio Regional e, durante o assalto, efetuou os disparos contra o frentista de 29 anos.

    Antes de se encaminharem ao Bairro Arroio Grande, onde ocorreu o velório, os colegas de trabalho se reuniram em frente ao estabelecimento onde tudo aconteceu. De lá, eles foram até o necrotério com camisetas penduradas na janela, pedindo por justiça. Ao passar em frente ao Fórum de Santa Cruz do Sul, fizeram um buzinaço, protestando contra o juíz que liberou o assassino, Mauricio Darlan Gomes Canutt, de 25 anos, para que saísse da prisão. Já no local do velório, os amigos entraram de mãos dadas para se despedir de Valdinei e prestar solidariedade à família. 

    De acordo com Eduarda Gass, amiga da vítima e filha do colega de trabalho de Valdinei, está mais do que na hora de acontecer uma mudança. "Não podemos nos confortar com os fatos e achar que aconteceu porque tinha que acontecer. Meu pai era colega dele e, todas as vezes que eu ia lá, sempre o via sorrindo,  fazendo brincadeira e arrancando sorrisos de todos a sua volta", relata. Eduarda agora pensa em como será para seu pai chegar lá, todos os dias, e perceber que o colega não está mais lá. "Creio que agora ele esteja em um lugar muito melhor que nós e creio também que ele esteja nos guiando e nos protegendo para que coisas assim não aconteçam com a gente", diz. 

    Para Eduarda, Valdinei agora virou o anjo de todos que o conheciam. "Sempre ouvimos dizer que para morrer basta estar vivo. Isso se concretizou para nós diante desse fato chocante que aconteceu ontem. Quantas pessoas estão sem chão pelo acontecido? Quantas pessoas estão com receio de ir trabalhar e acontecer o mesmo? Quantas pessoas já não suportam mais essas leis que nos prejudicam mais do que nos ajudam?", se questiona. Ela e tantos outros amigos de Valdinei lamentam a perda, mas também se revoltam por tudo que aconteceu. "É justo tirar a vida de um homem honesto, com uma filha de 8 anos para criar e amar? É justo tirar a vida de um homem que desde cedo batalhou muito para ter o que queria?", se pergunta Eduarda. 

    PROTESTO

    Na próxima quinta-feira (6), familiares, amigos e colegas vão realizar um protesto em frente ao Fórum de Santa Cruz do Sul para pedir justiça e questionar a liberação do criminoso do Presídio Regional. 

    Confira o vídeo do depoimento do proprietário do posto de combustível em que Valdinei trabalhava, Sérgio Morales:

    Entenda o caso:

    Frentista é morto durante assalto em Santa Cruz

    Suspeito de matar frentista é preso em Santa Cruz