Geral

Os guris do Xodó viraram a família Selvagens

16 de maio de 2023
  • Por
    Letícia Tais Dhiel
  • Foto: Carolina Almeida/Jornal Arauto
    compartilhe essa matéria

    A trajetória da multicampeã Selvagens, iniciou num ponto conhecido dos vera-cruzenses

    A trajetória da multicampeã Selvagens, que dá início à série de vídeos especiais no Portal Arauto nesta semana, iniciou num ponto conhecido dos vera-cruzenses. No final da década de 90, o bar Xodó era o ponto de encontro da gurizada e a maioria era menor de idade, muitos sem carteira de motorista. Mas alguns tinham motos e aí fundaram o grupo Selvagens, os Selvagens do Asfalto, que era um grupo de motociclistas. Mas no ano de 2000, com a chegada de novos componentes, no Bar Xodó, surgiu a ideia de fazer um bloco de carnaval, e passada essa folia, alguém sugeriu de fazer uma equipe de gincana, primeiramente só de homens, como já havia ocorrido anteriormente com Sírio e Bagual. Mas já no primeiro encontro, como alguns tinham namorada e havia gurias no grupo, essa ideia caiu por terra. 

    O projeto de criar uma equipe de jovens para se divertir foi se encorpando e o Xodó virou o marco inicial, tanto que consta no hino da equipe: “Xodó queremos, trago bebemos, pensamos em vencer essa gincana tão disputada, traga daí uma cerveja bem gelada…”, o que tem tudo a ver com a essência da equipe. De jovens que queriam curtir e fazer festa. Mas essa curtição virou brincadeira séria. Maurício Rabuske, o Pescoço, é a liderança que revive episódios marcantes, enquanto a nova geração é representada por Manuela Iser, que cresceu no QG vivendo essa paixão chamada gincana florescer. Experiência e renovação se misturam nos episódios que aqui começam e mostram a razão da gincana estar no DNA do vera-cruzense. “É talvez um fim de semana que a gente viva as maiores emoções da vida”, reflete Pescoço.

    Assista o conteúdo em vídeo: