Geral

Da produção à hora do lanche na escola

14 de outubro de 2016
  • Por
    Lucas Miguel Batista
  • Fonte
    Jornal Arauto
  • compartilhe essa matéria

    Professores visitaram três agroindústrias a fim de conhecer o processo de fabricação de alguns produtos da merenda

    Um grupo de professores de Vera Cruz teve outra rotina na manhã desta sexta-feira (14). Em vez de pegar os livros e entrar em uma sala de aula, eles embarcaram em uma viagem com o propósito de conhecer três agroindústrias de Vera Cruz – duas que já oferecem alimentos à merenda escolar. A primeira parada foi em Linha Fundinho, na agroindústria de Rukart Jost. Por lá, além de ouvir um pouco da história do empreendimento, os professores puderam acompanhar parte do processo de fabricação das tradicionais cucas, entregues a algumas escolas.

    A manhã foi pequena para tanta troca de conhecimento e visitas. Em Linha Henrique D’Ávila, o destino foi a Agro 66, de Osmar Silva. De acordo com a nutricionista da Secretaria de Educação, Caroline Ortolan, a partir do ano que vem, alguns dos produtos da Agro 66 farão parte do dia a dia das escolas. “Temos que ter no cardápio refeições que lembram o aspecto local. Por aqui, o carreteiro de linguiça também deve ser levado para dentro das escolas. Com isso, a partir de 2017, o Município estará adquirindo entre os itens da Agro 66 a linguiça”, comenta Caroline. 

    Com sua estrutura montada em Vila Progresso, a Massas Schindler foi a terceira a ser visitada na manhã de ontem. Produzido pelo casal Dulce e Oldemar, o produto é entregue para as escolas do município e faz sucesso devido à qualidade, segundo as merendeiras. Além de conhecer como são armazenadas e produzidas, o grupo pôde ouvir de dona Dulce o segredo para a massa caseira ficar no ponto.

    Confira a matéria na íntegra na edição do Jornal Arauto deste sábado.