Geral

Psicóloga e ilustradora Ale Vasconcelos realiza oficina de colagem em Santa Cruz

12 de abril de 2024
  • Por
    Jaqueline Rieck
  • Fonte
    Jornal Arauto
  • Foto: Paola Severo
    compartilhe essa matéria

    A técnica de arte visual que utiliza recortes, fotos, pinturas e outros materiais e texturas sobrepostas para criar novas imagens, está presente na vida da artista há cerca de 12 anos

    A psicóloga e ilustradora Ale Vasconcelos realizará em Santa Cruz do Sul, na semana que vem, uma oficina de colagem. A técnica de arte visual que utiliza recortes, fotos, pinturas e outros materiais e texturas sobrepostas para criar novas imagens, está presente na vida da artista há cerca de 12 anos. 

    Natural de Cachoeira do Sul e graduada em Psicologia, Ale trabalhou durante anos no serviço público e reside há mais de 15 anos em Santa Cruz. Acabou optando por atender em consultório particular para ter mais tempo com os três filhos. Foi neste período que retomou o antigo hábito do desenho e se aprofundou em técnicas, materiais e inspirações. O que surgiu como um hobby e uma forma de expressão pessoal, acabou se tornando uma paixão. Desde então, não se passa um dia em que ela não faça arte, seja com aquarelas, com as colagens ou outros materiais. 

    CONFIRA: Plataforma "Imaginário das Artes Visuais de Santa Cruz do Sul" será lançada

    Logo ela passou a incorporar a prática artística ao trabalho como psicóloga, usufruindo das propriedades terapêuticas da arte, além de compartilhar e transmitir tudo que aprendeu como artista visual autodidata. “Quando comecei a trabalhar novamente no consultório, eu chamei a arte, eu convidei ela para ir comigo”, brinca.

    Através da colagem, as pessoas podem retomar o contato com atividades manuais, tão raras nesta era tão digital, além de vivenciar um momento de calma, sentados, com música. “O carro-chefe do meu trabalho com arte e com as pessoas é que elas têm a possibilidade de experimentar materiais, manusear e se identificar com possibilidades diferentes, cores, texturas”, explica. 

    Os participantes das oficinas promovidas pela artista não precisam ter nenhuma experiência com a arte ou a colagem, são apresentados aos principais passos e materiais necessários. Todos terminam a atividade com uma arte única, e muitos se surpreendem com os resultados. “Muitos dizem ‘fui eu que fiz? Como ficou bonito’, eles se surpreendem com a própria capacidade de autoexpressão”, relata. A maioria dos participantes tem entre 20 a 40 anos e são, em sua maioria, mulheres. Os grupos costumam ter no máximo seis participantes por vez.

    Para Ale Vasconcelos, a técnica oferece muitos recursos. “Na colagem você tem a liberdade criativa de colocar o mundo todo dentro do papel. Que seja o papel da revista, o papel impresso, o orgânico de uma folha seca, a tinta, enfim. E essa mistura que me apaixona demais”, conta. Segundo ela, é uma forma de sair das telas e do modo automático, fazendo escolhas conscientes e presentes, e essa expressão pode revelar muito. 

    Outro aspecto que ela destaca sobre a colagem é retirar o julgamento do produto final, direcionando ao processo do fazer. “O objetivo é fazer algo com o qual você se identifique, não só criar algo lindo ou estético. Nós, adultos, tendemos a julgar, se ficou feio, se não gostamos, então podemos tirar um pouco dessa autocrítica e rigidez, pois não estamos aqui para fazer grandes trabalhos artísticos”, disse.

    Na visita do Jornal Arauto ao seu ateliê, Ale ensinou um pouco sobre o processo de fazer as colagens. O primeiro é separar imagens: recortes de revista e jornal, fotos, imagens, texturas, papéis coloridos e papéis pintados com tinta, de todos os tamanhos, formatos e texturas. Ela os organiza em uma caixa de materiais, que pode ser feita em casa. 

    O início é com uma folha branca, onde a partir de uma imagem central, que pode ser uma figura feminina, um animal ou objeto, o restante dos materiais vão sendo organizados. Uma dica é fotografar o processo com o celular, para conferir na imagem o que fica melhor, e também para servir de guia na hora de colar, o que deve ser feito com cola em bastão, que permite alterações e não enruga o papel como a cola branca.

    Oficina

    Voltada para adultos sonhadores, criativos, que gostam de experimentações artísticas e um bom papo, a oficina de colagem da psicóloga e artista visual Ale Vasconcelos será oferecida na semana que vem. A atividade acontece na próxima terça-feira, dia 16, às 18h30min. O valor para participação é R$ 120,00 e a duração é de cerca de duas horas. Todo o material está incluso e após a oficina, os participantes levam suas artes finalizadas para casa. Mais informações sobre a oficina e o trabalho de Ale nos perfis no Instagram @alevasconcelosilustra e @psicoalevasconcelos.

    LEIA MAIS: Natasha Cremonese abre primeira exposição individual em Santa Cruz

    Vídeos curtos