Geral

Entenda a tecnologia que Venâncio Aires vai usar para controle de mosquitos Aedes aegypti

9 de abril de 2024
  • Por
    Nícolas da Silva
  • Fonte
    Prefeitura de Venâncio Aires
  • Foto: Divulgação/Oxitec
    compartilhe essa matéria

    O Aedes do Bem™ é uma solução biológica segura e eficaz que usa mosquitos machos autolimitantes para combaterem a própria espécie

    A Prefeitura de Venâncio Aires adotou uma solução inovadora e sustentável, o Aedes do Bem™, para controlar o mosquito da dengue no município. Serão instaladas 42 unidades da Caixa do Bem em 14 pontos distribuídos estrategicamente pelo Bairro Gressler, no quadrante entre as ruas Senador Pinheiro Machado, Emílio Michel, Henrique Vila Nova e Carlos Wagner. A área a ser tratada compreende 7 hectares.

    A Bioseta, distribuidora oficial do Aedes do Bem™ no Rio Grande do Sul, treinará a equipe da prefeitura, que será responsável pela instalação das Caixas do Bem na área determinada do município – onde o mosquito costuma deixar seus criadouros – realizando a troca dos refis, que deve ser feita a cada 28 dias, durante 6 meses.

    Para o Coordenador da Vigilância Sanitária, Gabriel Alves, a adoção da tecnologia da Oxitec é de grande importância para a cidade. “Nós estamos trazendo para Venâncio Aires a tecnologia inovadora do Aedes do Bem™. A ideia é levar mais segurança para a população do bairro Gressler, onde a infestação de mosquito Aedes aegypti é mais crítica. Essa iniciativa vai auxiliar no controle do mosquito, mas é importante que cada morador continue cuidando do seu próprio terreno, do seu quintal. Somente juntos nós vamos conseguir superar tudo isso”, destaca Alves.

    O Aedes do Bem™ é uma solução biológica segura e altamente eficaz que usa mosquitos Aedes aegypti machos autolimitantes – que não picam e não transmitem doenças – para combaterem a própria espécie, fazendo o controle da população de fêmeas, as verdadeiras transmissoras de mais de 100 doenças tais como dengue, zika e chikungunya.

    Leia também: Polícia Civil investiga desaparecimento de menino de 12 anos em Venâncio Aires

    O produto é composto por uma caixa reutilizável que recebe refis contendo os ovos do Aedes do Bem™. Ao serem ativados com água limpa, os ovos presentes nos refis eclodem e os mosquitos machos se desenvolvem no interior da Caixa do Bem. Assim que os machos atingem a fase adulta, em cerca de 10 a 14 dias, voam para o ambiente urbano, procurando ativamente e acasalando com as fêmeas do Aedes aegypti – que picam e são responsáveis pela transmissão de doenças. Deste cruzamento, apenas os descendentes machos chegam à fase adulta, herdando do pai a característica autolimitante. O resultado é a queda do número de fêmeas, e, consequentemente, o controle populacional direcionado do Aedes aegypti – sem causar danos ao meio ambiente e a insetos benéficos, e sem ser tóxico para os moradores ou outros animais.

    Desde o ano passado, o país tem sofrido com os altos índices de infestação do mosquito e precisamos agir rapidamente. Ter a possibilidade de implantar o Aedes do BemTM em Venâncio Aires é motivo de muita alegria. Isso mostra que o poder público vem buscando novas soluções para ajudar no controle do Aedes aegypti, e Venâncio Aires se destaca ao adotar uma solução segura, sustentável e altamente eficaz”, afirma Natália Ferreira, diretora da Oxitec Brasil.

    O Diretor Executivo da Bioseta Inteligência Ambiental, Bruno Osório, também comentou sobre a parceria: “O compromisso de implantação do Aedes do Bem™ no sul do Brasil converge com os valores da Bioseta, de trazer ao mercado e para a sociedade, práticas sustentáveis e inovadoras, que visem a saúde das pessoas e a preservação ambiental, é o desafio de atuar no controle do mosquito sem impactar espécies benéficas, reduzindo o uso de produtos químicos”, completa.

    Vale ressaltar que o Aedes do Bem™ age especificamente no controle do Aedes aegypti e não afeta outras espécies de insetos benéficos ao meio ambiente, como abelhas, borboletas e joaninhas, além de não causar nenhum dano ao meio ambiente, às pessoas e aos animais, não serem tóxicos e nem alergênicos.

    LEIA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Notícias relacionadas

    Vídeos curtos