Geral

Projeto de incentivo à ciência e tecnologia para escolas inicia as atividades no próximo dia 16

5 de abril de 2024
  • Por
    Eduardo Elias Wachholtz
  • Fonte
    Assessoria de Imprensa
  • Foto: Unisc/Divulgação
    compartilhe essa matéria

    Parceria entre Unisc, Prefeitura de Santa Cruz do Sul e Mercur tem como objetivo despertar nos alunos o interesse pela área das exatas

    O mês de abril marca o inícios das atividades do Projeto Praça STEM: Science, Technology, Engineering and Mathematics. A iniciativa é uma parceria da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc) com a Prefeitura de Santa Cruz do Sul e Mercur. A proposta tem como objetivo despertar nos alunos do Ensino Fundamental das escolas públicas de Santa Cruz do Sul o interesse pela área das exatas. O programa foi um dos escolhidos pelo edital da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação, para receber recursos visando o incentivo à produção científica.

    LEIA TAMBÉM: A saúde pelo estilo de vida é um dos assuntos do Painel Arauto

    A Praça STEM já tem data para começar e também as duas escolas selecionadas pela Secretaria de Educação de Santa Cruz do Sul. No próximo dia 16, é a vez de 12 estudantes do 5º e 7º ano da Escola Municipal São Canísio iniciarem o projeto. No dia 18, serão mais 12 alunos do 6º ano da Escola Guido Herberts. Nesta semana, a coordenadora da iniciativa, professora Alessandra Gobbi, esteve nas duas escolas conversando com pais e estudantes para explicar como vai funcionar o projeto. 

    A ideia é que eles aprendam mais na área de exatas por meio de atividades lúdicas e metodologias ativas que instiguem o gosto por novas descobertas no campo das Ciências, Tecnologia, Engenharia, Física e Matemática, aplicados durante a construção de maquetes funcionais da empresa alemã FischerTechnik, assim como madeira balsa, MDF, peças impressas na impressora 3D, sensores, lâmpadas, relês, engrenagens e plataforma Arduino Uno os quais simulam projetos de Engenharia e Arquitetura em escala reduzida”, fala a professora da Unisc. 

    Segundo Alessandra, a Praça STEM tem vigência de 3 anos, totalizando 33 encontros, com 72 alunos, ou seja, em cada ano 12 novos jovens ingressam na proposta. Os trabalhos serão divididos em três aspectos: mobilização para o conhecimento, momento de provocar o interesse dos alunos; construção do conhecimento, em que os alunos aprenderão conceitos básicos de matemática como sistemas de numeração, ângulos, polígonos, volumes e probabilidade, de física clássica como estática, cinemática e dinâmica, e princípios de conservação de energia, conteúdos de forte ligação com a Engenharia de Produção, Engenharia Mecânica,  Engenharia Civil e Arquitetura; e síntese do conhecimento, em que ao término de cada etapa construída, os estudantes deverão elaborar um relatório com registo fotográfico do artefato montado, descrevendo como foi a construção do seu projeto, as etapas construtivas, sua finalidade e seu aprendizado.

    VEJA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Além da professora Alessandra, integram a equipe da Praça STEM, Jorge André Ribas Moraes, Adriano José Bombardieri, Luiz Carlos Schneider, André Luiz Emmel Silva, Rafael Guedes de Azevedo, Carmen Lúcia de Lima Helfer, Rafael Kirst, Douglas Ivan Schuch, Fábio Uptmoor e Letícia Blanck.