Geral

Governo e prefeitos debatem soluções para reconstrução do Vale do Taquari

Publicado em: 31 de maio de 2024 às 13:17
  • Por
    Portal Arauto
  • Fonte
    Governo do Estado do RS
  • Foto: Rodrigo Ziebell/Ascom GVG
    compartilhe essa matéria

    Gabriel Souza defendeu uma agenda única de ações para a região

    O vice-governador Gabriel Souza esteve nessa quinta-feira (30) reunido com prefeitos do Vale do Taquari e integrantes do governo federal para discutir medidas de reconstrução dos municípios, fortemente afetados pelas enchentes recentes. No encontro, realizado em Estrela, o grupo tratou de temas como habitação, infraestrutura e a revisão dos planos diretores das cidades atingidas.

    Leia também: Secretária da Saúde visita hospital de Sinimbu e entrega medicamentos e câmara fria para Unidade Básica

    Representando o governo estadual, Gabriel defendeu uma agenda única de ações para a região, com pautas compartilhadas com todo o Estado e, ao mesmo tempo, alinhadas às necessidades específicas do Vale. “O Rio Grande do Sul vai perder mais da metade da arrecadação em junho, e aqui na região podemos ter municípios com a mesma situação. Portanto, é fundamental que tenhamos a compensação da perda de receitas pela União a fim de garantir os recursos necessários para a manutenção dos serviços públicos essenciais”, reforçou.

    O apoio às empresas e indústrias atingidas e a reorganização urbana das cidades também foram temas abordados pelo vice. “Precisamos revisar os planos diretores dos municípios. Áreas atualmente ocupadas por residências, comércios e indústrias podem não ser mais seguras. Devemos planejar a expansão urbana para locais que não estejam em áreas inundáveis“, disse Gabriel. O Estado também apoiará os municípios na contratação de serviços especializados para estudar novos locais seguros para urbanização.

    O prefeito de Estrela, Elmar Schneider, agradeceu os esforços dos governos estadual e federal no resgate às vítimas e na assistência humanitária às famílias atingidas. Ele informou que a prefeitura já possui área não alagável disponível para a construção de cerca de 800 moradias. “Precisamos garantir que as pessoas possam voltar para suas casas rapidamente. Os recursos são importantes, mas as pessoas precisam estar em primeiro lugar. Não há indústria, não há comércio sem elas”, ressaltou.