Geral

Vacinas contra a dengue começam a ser aplicadas quinta-feira em Santa Cruz

Publicado em: 12 de junho de 2024 às 13:31
  • Por
    Portal Arauto
  • Fonte
    Prefeitura de Santa Cruz do Sul
  • Foto: Divulgação
    compartilhe essa matéria

    Público-alvo, neste primeiro momento, são exclusivamente crianças e adolescentes entre 10 e 14 anos

    Santa Cruz do Sul entra para a lista das 61 novas cidades gaúchas contempladas com o imunizante de nome comercial Qdenga, que atua no combate à dengue. O público-alvo, neste primeiro momento, são exclusivamente crianças e adolescentes entre 10 e 14 anos – idades que nacionalmente concentram maior número de hospitalizações dentro da faixa etária indicada para receber a imunização.

    Para o Município, foram disponibilizadas 1755 doses. Conforme o enfermeiro Roger Peres, coordenador do Setor de Imunizações de Santa Cruz do Sul, todas as salas de vacina deverão ter o imunizante disponível para aplicação a partir desta quinta-feira (13). Para receber a proteção, será necessário apresentar carteira de vacinação e documento de identidade onde conste o CPF ou o Cartão SUS.

    O esquema completo da Qdenga é composto por duas doses, a serem administradas com intervalo de três meses entre elas. Quem já teve dengue também deve tomar a vacina, mas a orientação é de que aguarde por seis meses após a infecção.

    Leia também

    O titular da Secretaria Municipal da Saúde, Daniel Fernando Cruz, recomenda que as famílias orientem as crianças e adolescentes a buscarem a imunização, que reduz o risco de infecção sintomática e de hospitalizações pela doença. O secretário também afirma que o Setor de Vigilância e Ações em Saúde de Santa Cruz do Sul vem atuando com afinco para evitar a reprodução do mosquito Aedes aegypti, principalmente nas regiões mais afetadas pelas enchentes.

    Recomendamos fortemente que a população se vacine contra a dengue. A imunização é uma ferramenta crucial na prevenção da doença, especialmente diante do número de casos e da circulação de diferentes sorotipos do vírus. Além da vacina, é importante que todos colaborem eliminando a água parada nas áreas de suas residências, para que juntos possamos combater a doença“, destaca Cruz.